domingo, 25 de Maio de 2008

Enfermagem e a Eutanásia

Um doente em fase terminal, tem necessidades aumentadas em relação aos cuidados de conforto que promovam a qualidade de vida física, intelectual e emocional sem descurar a vertente familiar e social. Porem, o enfermeiro, ao deparar-se com situações limite exprimenta sentimentos de impotência perante a realidade. A situação agrava-se se o doente exprimir o desejo de interromper a sua vida. Como agir perante princípio de autonomia do doente? Como agir perante o direito de viver? Perante este quadro com o qual nos podemos deparar um dia, a que ter um profundo conhecimento das competências, obrigações e direitos profissionais, de forma a respeitar e proteger a vida como um direito fundamental das pessoas.

Sem comentários: